sexta-feira, 5 de setembro de 2008

As máscaras sempre caem



«As pessoas afivelam uma máscara, e ao cabo de alguns anos acreditam piamenteque é ela o seu verdadeiro rosto.E quando essa lhe é arrancada,ficam suas faces em carne viva, doloridas edesesperadas, incapazes de compreenderque o gesto violento foi o melhorde respeito que poderíamos dar.»







3 comentários:

Denni disse...

"Se se pudesse o espírito que chora Ver através da máscara da face, quanta gente, talvez, que inveja agora nos causa, então piedade nos causasse!" eh moço... sempre sabios pensamentos =) fui a primeira acomentar? q honra! =*****

Solferino disse...

aii, essa foto dá agonia, talavez seja poruqe não é dificl encarar a verda (bléé)

Xelhi disse...

adorei o texto. E a foto escolhida foi perfeita ;)
Muito bem lembrado o poema de Raimundo Correa, mal secreto. citado por DENNI:
"Se se pudesse o espírito que chora Ver através da máscara da face (...) Quanta gente que ri, talvez existe,Cuja a ventura única consiste Em parecer aos outros venturosa"