segunda-feira, 20 de abril de 2009

Saudades e nada mais.


Pensamentos avulsos no meio de uma tarde solitária...









Hoje preciso de ti...

Não sei se do teu olhar, das tuas mãos, do teu sorriso, da tua voz ou simplesmente da tua escrita. As palavras têm o poder de fazer nascer de novo a esperança, da mesma forma que conseguem pôr por terra qualquer ilusão.

Muitas vezes é a ausência das palavras que faz com que tudo fique vazio, sem sentido. Hoje sinto-me um pouco assim, vazio, porque aos poucos, todas as tuas palavras se perderam por becos, por montes, por vales em forma de eco, mas sem chegarem a mim. Eu, que preciso das tuas palavras.

As palavras encantam-me. O poder que elas contêm, sabes? Por isso me é sempre tão importante conseguir acreditar no que me dizem as bocas, no que me escrevem as mãos.

Como se fosse o principio e o fim de tudo. Mesmo que a vida já me tenha ensinado que no fim, resta nada. Nem sequer as palavras...

Hoje, particularmente hoje, sinto-me cansado. Das palavras. De as escrever, repetidamente, misturá-las umas com as outras para te dizer o que existe aqui dentro. Deslizam de mim pela ponta dos dedos mas não dizem o que sinto, o que quero. Escrevi-te tantas só para te dizer... mas não fui capaz... parece-me que escrevi muito, mas mesmo assim, não o suficiente para que através delas entrasses em mim para saberes como é.

Esgotei as palavras. Enquanto me desgastei nas esperas. Inevitavelmente teria de ser assim.

Hoje queria dizer-te tantas coisas e faltam-me as palavras...
Este silêncio em vez de ti, corrói por dentro.




[...]


2 comentários:

Ex-critos - Dex-critos disse...

"nao sei de nada"


Mas tal como tu precisava tanto dele.

Mel disse...

Bom dia, querido!!!!
Fui no meu flogão[corpo arte] que estava meio abandonado, e vi uns comentários teus, antigos.. deu uma saudade gostosa, e te segui até teu refúgio, rssss!
Bem você aqui!!!!!
Virei, certamente, mais vezes,

Beijo na alma!!!
Mel